Mãe que perdeu um braço e uma perna ao escorregar e ser atropelada por dois trens é a primeira pessoa do mundo a ter braço biônico com inteligência artificial

Alberto Pires de Almeida
Alberto Pires de Almeida
3 Min Read

A ideia é que o dispositivo, que custa R$ 1,5 milhão, “aprenda” os movimentos que ela faz com mais frequência

Uma mãe britânica que perdeu um braço e uma perna depois de escorregar nos trilhos do metrô e ser atropelada por dois trens se tornará a primeira pessoa no mundo a operar um braço biônico com inteligência artificial, capaz de ler sua mente. As informações são do jornal Daily Mail.

O acidente aconteceu em setembro do ano passado, quando Sarah de Lagarde, de Camden, norte de Londres, voltava para casa depois do trabalho. Tinha chovido bastante e a plataforma estava molhada. Então, ela escorregou e perdeu o equilíbrio, caindo no vão entre o trem e a borda da plataforma. O braço e perna direitos foram esmagados quando o trem saiu da estação High Barnet. Em seguida, ela foi atropelada novamente por outro trem, que causou mais ferimentos.

Levou cerca de dez minutos até que alguém ouvisse seus gritos e chamasse os serviços de emergência. Ela foi levada para o hospital e depois para uma unidade especializada, onde seu braço e perna precisaram ser amputados.

Sarah, que brinca que é 80% humana e 20% robô, deve receber em breve o braço biônico, que custa o equivalente a R$ 1,5 milhão. A mãe de duas filhas afirma que o dispositivo, que usa tecnologia de inteligência artificial, conta com um software com capacidade para aprender os movimentos que ela faz com mais frequência.

Em entrevista ao The Times, ela explicou que seu cérebro moverá o braço. “O soquete será anexado ao meu braço e terá sensores que detectam minhas contrações musculares e o software converterá esses impulsos em movimentos do braço”, afirmou.

Levou cerca de dez minutos até que alguém ouvisse seus gritos e chamasse os serviços de emergência. Ela foi levada para o hospital e depois para uma unidade especializada, onde seu braço e perna precisaram ser amputados.

Sarah, que brinca que é 80% humana e 20% robô, deve receber em breve o braço biônico, que custa o equivalente a R$ 1,5 milhão. A mãe de duas filhas afirma que o dispositivo, que usa tecnologia de inteligência artificial, conta com um software com capacidade para aprender os movimentos que ela faz com mais frequência.

Em entrevista ao The Times, ela explicou que seu cérebro moverá o braço. “O soquete será anexado ao meu braço e terá sensores que detectam minhas contrações musculares e o software converterá esses impulsos em movimentos do braço”, afirmou.

Compartilhe esse Artigo
Leave a comment