Conheça a evolução da tecnologia na medicina e os benefícios para a área!

Alberto Pires de Almeida
Alberto Pires de Almeida
20 Min Read

A medicina sempre esteve em constante evolução, e com o advento das tecnologias digitais, esse progresso se acelerou. Hoje, a tecnologia na medicina é uma realidade inescapável, trazendo inúmeros benefícios e desafios para a área.

Não é surpresa que as inovações tecnológicas tenham encontrado um lugar nas práticas médicas.

Seja nos diagnósticos por imagem cada vez mais detalhados, na Telemedicina que permite consultas a distância, ou na utilização de inteligência artificial para análise de dados em larga escala, a tecnologia tem demonstrado seu valor.

Em um levantamento da Tractica, divulgado no portal Business Wire em agosto de 2018, a pesquisa aponta que o mercado de Tecnologia da Informação com a IA deve movimentar, até 2025, cerca de 34 bilhões de dólares apenas no setor da saúde.

Esse dado reforça a importância do investimento em inovação e tecnologia na medicina, tanto no contexto nacional quanto internacional. Inclusive, também é um chamado para os profissionais de saúde se adaptarem a essa nova realidade.

Para aqueles que ainda têm dúvidas, este artigo apresentará a evolução da tecnologia na medicina, mostrando exemplos práticos, seus benefícios e como ela está moldando o futuro da saúde no Brasil e no mundo.

O uso da tecnologia da medicina impacta em diversas frentes, como o tratamento e consultas a distância (Telemedicina), diagnóstico e tratamento de doenças por meio de robôs e outros equipamentos, entre outras áreas.

Os impactos da tecnologia na relação médico-paciente
A relação médico-paciente é composta pela interação entre o profissional e a pessoa que necessita de cuidados, a qual não se resume apenas ao momento da consulta, mas durante toda a vida daquele paciente.

Com os avanços tecnológicos, informações que eram de difícil acesso se tornaram facilmente acessíveis em alguns cliques.

Por exemplo, ao disponibilizar diferentes canais de atendimento, você permite que o paciente tenha mais facilidade em marcar consultas, principalmente com o agendamento online.

Outra transformação é a Telemedicina, que permite aos médicos atenderem seus pacientes virtualmente, sem a necessidade de um encontro presencial.

Isso facilita o acesso à saúde para aqueles que vivem em áreas remotas ou que têm dificuldades de locomoção.

Além disso, os pacientes têm a possibilidade de obter uma segunda opinião de especialistas de qualquer lugar do mundo.

Outro aspecto importante é o uso de registros eletrônicos de saúde como os prontuários eletrônicos, que fornecem aos profissionais de saúde um acesso rápido e seguro às informações do paciente.

Essa tecnologia permite um diagnóstico mais preciso e um tratamento mais eficiente.

Por fim, os aplicativos de saúde também têm um papel crucial, permitindo que os pacientes acompanhem sua saúde de maneira mais ativa.

Eles podem monitorar seus sintomas, medicações e consultas, contribuindo para uma gestão mais eficiente da própria saúde.

Como a tecnologia tem melhorado o diagnóstico e tratamento de doenças?
tecnologia na medicina procedimento

A tecnologia tem desempenhado um papel crucial no diagnóstico e tratamento de doenças, introduzindo várias ferramentas inovadoras que estão revolucionando a medicina.

Aqui estão alguns exemplos:

Cirurgia robótica: os robôs cirúrgicos, como o Da Vinci, permitem que médicos realizem cirurgias minimamente invasivas com precisão incrível. Isso significa menos dor e uma recuperação mais rápida para os pacientes;


Imagem médica avançada: equipamentos como tomógrafos e ressonância magnética de última geração permitem imagens mais precisas e detalhadas, ajudando no diagnóstico precoce de diversas condições;


Terapias genéticas e personalizadas: com o avanço da genômica e da biotecnologia, agora é possível desenvolver tratamentos personalizados baseados no perfil genético do paciente;


Inteligência artificial (IA): a IA está sendo usada para melhorar a precisão dos diagnósticos. Por exemplo, algoritmos de aprendizado de máquina podem analisar imagens médicas e detectar anormalidades que podem passar despercebidas pelo olho humano;


Telemedicina: além de facilitar a consulta a distância, a Telemedicina também permite o monitoramento remoto de pacientes, possibilitando intervenções médicas rápidas quando necessário;


Impressão 3D: a tecnologia de impressão 3D está sendo usada para criar próteses personalizadas, modelos para planejamento cirúrgico e até mesmo tecidos e órgãos para transplantes.
Essas ferramentas e muitas outras estão tornando o diagnóstico e o tratamento de doenças mais eficientes e eficazes, melhorando significativamente a qualidade de vida dos pacientes.

A importância da segurança da informação na tecnologia médica
tecnologia na medicina teclado de laptop

A segurança da informação é uma questão fundamental na medicina moderna. À medida que mais dados de saúde são digitalizados e armazenados eletronicamente, a necessidade de proteger essas informações se torna cada vez mais crítica.

Os registros médicos contêm informações sensíveis e pessoais, como históricos de saúde, resultados de exames, diagnósticos e detalhes de tratamentos.

Um vazamento desses dados pode resultar em violações de privacidade e possíveis danos aos pacientes.

Por isso, a segurança da informação na tecnologia médica é essencial.

Ela implica na proteção dos dados de saúde contra acessos não autorizados, alterações, divulgação ou destruição. Isso pode ser alcançado através de várias medidas, como criptografia, autenticação de dois fatores, firewalls, entre outros.

A segurança da informação na medicina também envolve a garantia de que os sistemas de saúde estejam sempre disponíveis e funcionando corretamente.

Esse processo é fundamental para garantir que os médicos possam acessar as informações de que precisam para tratar seus pacientes a qualquer momento.

A tecnologia na formação de novos profissionais de saúde
tecnologia na medicina profissionais

No contexto atual, a formação de novos profissionais de saúde não apenas requer um domínio profundo dos fundamentos médicos, mas também um entendimento robusto das inovações e novas tecnologias emergentes na área.

Essa integração da tecnologia na educação médica tem potencializado a qualidade e eficácia do aprendizado, oferecendo aos futuros profissionais de saúde uma gama de ferramentas valiosas.

Neste cenário, destacam-se o uso de simuladores de realidade virtual (VR) e aumentada (AR).

Essas tecnologias, ao reproduzirem situações clínicas diversas em um ambiente seguro e controlado, permitem que os estudantes de medicina pratiquem procedimentos complexos.

Tal experiência prática virtual contribui para o aprimoramento de suas habilidades e, ao mesmo tempo, minimiza o risco de erros médicos.

Paralelamente, a ascensão da inteligência artificial (IA) e a disponibilidade de vastos bancos de dados têm um impacto significativo na formação médica.

Os estudantes podem utilizar a IA para identificar padrões em casos clínicos, um exercício que auxilia na aquisição e desenvolvimento de habilidades de diagnóstico.

Assim, com o avanço da tecnologia, a formação de novos profissionais de saúde está cada vez mais alinhada com as demandas do mundo moderno, preparando-os de forma integral para oferecer o melhor atendimento aos seus futuros pacientes.

Os desafios e oportunidades da tecnologia na medicina para médicos empreendedores
tecnologia na medicina notebook

A tecnologia na medicina tem o potencial de transformar o campo da saúde, oferecendo aos médicos empreendedores uma gama de novas oportunidades. No entanto, essas possibilidades também vêm com seus desafios.

Aqui estão alguns pontos importantes para considerar:

Atualização tecnológica: a rápida evolução da tecnologia na medicina exige que os profissionais se mantenham atualizados sobre as últimas inovações e tendências. Embora seja um desafio constante, essa atualização contínua pode abrir portas para novas oportunidades de tratamento, diagnóstico e gestão de pacientes;


Investimento: a implementação de novas tecnologias também pode exigir um investimento significativo. Apesar do custo inicial, esse investimento pode resultar em uma maior eficiência dos processos clínicos, economizando tempo e recursos a longo prazo;


Segurança da informação: garantir a privacidade e a segurança dos dados dos pacientes é um desafio essencial no uso da tecnologia na medicina. No entanto, investir em segurança da informação não só protege seus pacientes como também fortalece a confiança na sua prática médica;


Regulamentação: as leis e regulamentos que regem a utilização da tecnologia na saúde podem ser complexos e estão em constante mudança. Embora seja desafiador manter-se atualizado sobre essas mudanças, o cumprimento dessas regulamentações é crucial para o funcionamento legal e ético de qualquer empreendimento médico;


Aumento da eficiência e melhoria do atendimento ao paciente: o uso eficaz da tecnologia pode melhorar a qualidade do atendimento ao paciente, desde o diagnóstico até o tratamento. Ao mesmo tempo, pode aumentar a eficiência, permitindo aos profissionais de saúde dedicar mais tempo à interação direta com o paciente;


Alcance maior e inovação: a tecnologia, como a Telemedicina, permite que os médicos atendam pacientes fora de sua localização geográfica, aumentando potencialmente seu alcance. Além disso, abre oportunidades para a inovação, permitindo que os médicos empreendedores desenvolvam novas soluções e serviços em saúde, diferenciando-se em um mercado competitivo.


Principais marcos históricos da evolução da tecnologia na medicina
tecnologia na medicina medico

A tecnologia como conhecemos hoje teve seu início junto com a história da humanidade.

Chamadas de tecnologias primitivas ou clássicas, a descoberta do fogo, invenção da roda e a própria escrita, são os marcos históricos iniciais da sua evolução.

Porém, foi na Revolução Industrial do século XVIII que a tecnologia mudou o mundo, principalmente o crescimento das indústrias e outras áreas.

No século XX, as tecnologias de informação inovaram com as telecomunicações, criação dos computadores pessoais, surgimento da internet, e avanços como nanotecnologia e biotecnologia.

Para contar toda a história da evolução da tecnologia na medicina, precisaríamos produzir um livro. Porém, decidimos coletar os principais marcos históricos neste artigo.

Assim, você pode entender como a área da saúde se desenvolveu ao longo do tempo, e para onde ela irá no futuro.

  1. Computador programável
    O conceito do computador mecânico programável foi originado por Augusta Ada King, conhecida como condessa de Lovelace, em conjunto com Charles Babbage, em 1834.

Suas contribuições foram fundamentais para a evolução dessas máquinas, e os primeiros computadores pessoais surgiram em 1960 a 1970.

O computador programável foi fundamental para a medicina, apesar de, atualmente, nossos computadores serem mais modernos e inteligentes.

É importante enfatizar que apesar do conceito ter sido criado em 1834, as técnicas exigidas para sua invenção eram tão avançadas, que não puderam ser criadas na época.

  1. Eletrocardiograma
    O conceito de eletrocardiograma foi desenvolvido por Willem Einthoven no século XIX, razão pelo qual é conhecido como “pai da eletrocardiografia”.

Em 1924, recebeu o prêmio Nobel de Fisiologia e medicina por suas contribuições.

Porém, foi em 1887 que foi criado o primeiro eletrocardiograma de superfície, pelo fisiologista Augustus Desiré Waller, do St. Mary’s Medical School de Londres.

Ele foi o primeiro profissional a realizar um eletrocardiograma em um ambiente hospitalar.

Os profissionais de saúde sabem melhor do que ninguém a importância do eletrocardiograma para a área da saúde, e seu marco não pode ser deixado de lado na evolução da tecnologia na medicina.

  1. Raio-x
    tecnologia na medicina raio x

Foi em 1895 que a descoberta do raio-x e a primeira radiografia foram concebidas pelo Wilhelm Conrad Roentgen, físico alemão que conquistou o prêmio Nobel de Física, em 1901.

Naquele ano, Wilhelm publicou o artigo “Sobre uma nova espécie de raios”, no qual divulgou seus experimentos com radiografia para obter imagens internas de um ser humano.

No final de 1895, conseguiu realizar a primeira radiografia da história, e sua contribuição foi essencial para que os profissionais de saúde pudessem examinar seus pacientes sem procedimentos invasivos.

  1. Telescópio eletrônico
    Em 1910, Sidney George Brown criou o telescópio eletrônico, descoberta fundamental para que a Telemedicina pudesse ser implementada ao redor do mundo.

S. G. Brown era um engenheiro eletrônico britânico, e é lembrado como pioneiro no design de equipamentos de rádios e alto-falantes.

Em 1911 criou a companhia S. G. Brown LTD para fabricar equipamentos de telefone, rádios, fones de ouvido, entre outras tecnologias.

  1. Rádio
    O rádio foi uma invenção essencial não apenas para a medicina, mas para toda a história da comunicação.

Em meados de 1945, por exemplo, seu uso foi importantíssimo durante a Segunda Guerra Mundial, pois os médicos conseguiam entrar em contato com diferentes estações costeiras para auxiliar os militares.

Além disso, ele também permitiu atendimento médico aos astronautas, que compartilhavam dados sobre sua saúde para os médicos da NASA.

Muitos historiadores consideram a primeira transmissão radiofônica em 1906, mas as primeiras transmissões para entretenimento ocorreram em 1920, nos Estados Unidos e Argentina.

  1. Ressonância Magnética
    tecnologia na medicina exame

Felix Bloch e Edward Purcell receberam o prêmio Nobel em 1952 pela invenção da ressonância magnética.

Eles descobriram o fenômeno em 1946, e entre 1950 e 1970, esse método de diagnóstico de imagens foi desenvolvido para análise moleculares físicas e químicas.

Raymond Damadian incentivou o uso da ressonância magnética como método de detecção de doenças em 1971, ao descobrir diferença no tempo de relaxamento de diferentes tumores e tecidos.

Em 1977, Raymond apresentou a ressonância nuclear magnética com campo focado. Naquele mesmo ano, Peter Mansfield desenvolveu a técnica EPI (eco-planar), que originou as imagens de vídeo.

  1. Tomógrafo
    William Henry Oldendorf conseguiu criar a tomografia computadorizada por meio de várias descobertas iniciadas em 1961.

Ele realizou as primeiras experiências com imagens computadorizadas, porém o método não conseguiu ser aplicado de forma efetiva por falta de suporte matemático teórico.

Entre 1963 e 1964 o físico sul-africano Allan MacLeod Cormack conseguiu criar o método matemático necessário para refazer as imagens.

Sir Godfrey Newbold aperfeiçoou os conhecimentos sobre tomografia e desenvolveu uma forma de reconstruir imagens a partir dos raios-x, por meio da tomografia axial computadorizada.

  1. Impressora 3D
    A impressora 3D é uma inovação tecnológica que permite a criação de um modelo tridimensional por sucessivas camadas de um material específico.

Entre suas principais vantagens, podemos citar a produção de formatos que não são viáveis em outras produções, pois a maioria exige uso de moldes, enquanto a impressora 3D produz livremente seus materiais.

Ela surgiu em 1984, inventada por Chuck Hull, um engenheiro físico norte-americano, utilizando a estereolitografia.

As primeiras versões comerciais da impressora 3D foram desenvolvidas por S. Scott Crump.

Hoje, as impressoras 3D são usadas na medicina de diversas formas, como impressão de órgãos criados com base nas células dos pacientes, identificação de tumores em visão 3D, e muito mais.

  1. Robôs-cirurgiões
    tecnologia na medicina sala de cirurgia

Em 1998 surgiram os primeiros robôs-cirurgiões, e o primeiro estabelecimento médico a realizar cirurgias por meio deles foi o Hospital Broussais, em Paris.

Também conhecidos como robôs da Telemedicina, eles são guiados por um médico que conta com uma visão ampliada em 3D para realizar a cirurgia a distância.

Confira os principais benefícios dos robôs-cirurgiões:

Cirurgias menos invasivas para pacientes, devido aos cortes cirúrgicos pequenos proporcionados pelo tamanho dos braços robóticos, além da precisão das microcâmeras de vídeos;


Recuperação dos pacientes de forma mais rápida e eficiente. Diferente de um cirurgião humano, os robôs têm movimentos precisos e calculados, ao serem guiados por um profissional de saúde experiente;


Acesso à cirurgias de qualidade para todas as pessoas, independentemente da sua localização geográfica. Com a cirurgia a distância, os pacientes contam com profissionais qualificados, mesmo em regiões de difícil acesso.
Uma ótima forma de cuidar dos pacientes por meio da tecnologia, não concorda?

  1. Nanorobôs
    A nanotecnologia é um dos avanços tecnológicos mais recentes e importantes na área da saúde.

Os nanorobôs são capazes de acessar as células mais profundas sem procedimentos invasivos, por meio da corrente sanguínea do paciente, ingestão de pílulas, entre outros métodos.

Um ótimo exemplo da contribuição da nanotecnologia para a medicina são os nanorobôs criados pelos cientistas da The Chinese Academy of Sciences e Arizona State University.

Uma pesquisa divulgada pela Nature afirma que os cientistas conseguiram utilizar os nanorobôs para rastrear e atacar tumores, sem agredir nenhuma célula saudável pelo caminho.

“Robôs em nanoescala têm potencial como sistemas inteligentes de administração de medicamentos que respondem a gatilhos moleculares. Usando origami de DNA, construímos um robô autônomo de DNA programado para transportar cargas úteis e apresentá-las especificamente em tumores.”

Compartilhe esse Artigo
Leave a comment