Toxicologista explica cuidados com uso de analgésicos após mortes envolvendo substâncias

Alberto Pires de Almeida
Alberto Pires de Almeida
2 Min Read

Médico Álvaro Pulchinelli, toxicologista do Grupo Fleury, detalha os riscos e efeitos colaterais da ketamina e morfina quando usadas em excesso

Em meio a casos recentes envolvendo mortes relacionadas ao uso indevido de substâncias como ketamina e morfina, o médico toxicologista Álvaro Pulchinelli, do Grupo Fleury, alertou sobre os perigos dessas drogas quando utilizadas sem supervisão médica.

Ketamina: Anestésico Veterinário com Potencial Alucinógeno
A ketamina, uma droga utilizada como anestésico em grandes animais, foi abandonada para uso em seres humanos devido a efeitos colaterais como a produção excessiva de secreção pulmonar. Quando ingerida, ela causa depressão do sistema nervoso central, induzindo sonolência, torpor e, em casos extremos, coma.

“Em algumas pessoas, há um potencial alucinógeno”, explicou Pulchinelli. “Em doses excessivas, ela pode matar por depressão do músculo do coração, do miocárdio.”

Morfina: Analgésico Potente com Riscos Respiratórios
Já a morfina, um analgésico amplamente utilizado na medicina, pode ser perigosa em doses elevadas. “Ela vai deprimindo os centros respiratórios, o que programa o nosso organismo a continuar respirando”, disse o toxicologista.

“Ela também pode causar um edema agudo de pulmão, dificultando ainda mais a respiração”, completou.

Controle e Comercialização
Ambas as substâncias são controladas e requerem prescrição médica para compra e uso. A Anvisa regula rigorosamente sua comercialização, mas desvios criminosos e falsificações podem ocorrer, como suspeito nos casos recentes.

Pulchinelli enfatizou que, quando utilizadas sob supervisão médica e nas doses adequadas, essas drogas são seguras e têm seu uso justificado. Entretanto, o uso abusivo ou tóxico pode resultar em consequências graves e até fatais.

Compartilhe esse Artigo
Leave a comment