Global Statistics

All countries
159,713,930
Confirmed
Updated on 11 de May de 2021 11:02
All countries
138,370,952
Recovered
Updated on 11 de May de 2021 11:02
All countries
3,320,104
Deaths
Updated on 11 de May de 2021 11:02

Sem filhos e advogado, lista de perdões de Trump pode ter rapper Lil Wayne

A um dia de sair do cargo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, divulgará nesta terça-feira, 19, uma onda final de indultos e mudanças de penas para aliados. O rapper Lil Wayne, que endossou publicamente o republicano em outubro passado, pode ficar 10 anos na prisão por porte ilegal de armas e é forte candidato para a lista de perdões de última hora.

Wayne postou uma foto com o presidente no Twitter no dia 29 de outubro do ano passado, afirmando que os dois tiveram uma ótima reunião e declarando apoio ao seu plano de investimento em comunidades negras. “Ele ouviu o que tínhamos a dizer e garantiu que colocará em prática”, escreveu.

O rapper recebeu duras críticas de fãs e outros artistas americanos pela postagem – que, mais tarde, ele apagou. Logo depois do incidente, sua namorada, a modelo Denise Bidot, terminou o relacionamento de seis meses com o astro. O Grammy Awards, uma das principais premiações da indústria musical, parece ter deixado Wayne intencionalmente de fora.

Pelo menos, pode ser que o ostracismo seja enfim compensado. No mês passado, o rapper se declarou culpado pelo porte de uma arma carregada – e banhada a ouro – quando seu jatinho fretado pousou em Miami em dezembro de 2019. Sua audiência está marcada para o dia 28 de janeiro. Enfrentando uma sentença de até 10 anos de prisão, o indulto cairia como uma luva.

Segundo o jornal The New York Times, um outro possível perdoado é Sheldon River, ex-presidente da Assembleia de Nova York, condenado por acusações de corrupção em 2015. Outra pessoa sob consideração é Sholam Weiss, dono da mais longa sentença de prisão de colarinho branco.

Continua após a publicidade

Espera-se que mais de 100 perdões e comutações sejam emitidos no último dia completo de mandato do republicano. Nomes como o advogado Rudy Giuliani, ou o ex-assessor Steve Bannon, contudo, não devem ser agraciados com a clemência presidencial, segundo pessoas próximas a Trump.

Giuliani tem sido um dos principais defensores das infundadas alegações de fraude eleitoral no pleito de 3 de novembro, conquistado pelo democrata Joe Biden. Já Bannon foi um dos propulsores da vitória de Trump em 2016 e conselheiro sênior da Casa Branca – e é acusado de fraudar doadores da campanha online “We Build The Wall”, para construir o muro na fronteira com o México, que arrecadou 25 milhões de dólares.

Julian Assange, o fundador do WikiLeaks, também não deve receber perdão, disseram pessoas próximas ao presidente. Em 2019, o Departamento de Justiça americano pediu ao Reino Unido que o extraditasse para enfrentar acusações de ciberataque a computadores do governo dos Estados Unidos, violando leis de espionagem. Um tribunal britânico recusou o pedido.

Trump também parece ter sido dissuadido de perdoar a si mesmo ou a membros de sua família. Supunha-se que ele pretendia dar indultos preventivos a seus dois filhos mais velhos, Donald Trump Jr. e Eric Trump. Os dois comandam a empresa familiar Trump Organization, investigada por supostas irregularidades financeiras.

Alguns membros da empresa se mostraram favoráveis aos perdões preventivos. Enquanto isso, a Casa Branca é contra. Porém, como quase todos os seus atos presidenciais, Trump acabará decidindo por conta própria. Ele tem até o meio-dia de quarta-feira, 20, quando seu mandato de quatro anos chegar ao fim, para emitir (ou não) esses controversos perdões.

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Escalada de violência: Palestinos disparam mísseis em Jerusalém

Manifestantes palestinos  dispararam ao menos sete mísseis contra áreas israelenses de Jerusalém na tarde desta segunda-feira (10). A violência fez com que moradores da...

Pioneiro da internet no Brasil, empresário Aleksandar Mandić morre aos 66 anos

Considerado um dos pioneiros da internet no Brasil, Aleksandar Mandić morreu na tarde desta quinta-feira, 6, aos 66 anos. A informação foi anunciada por...

Chanceler França terá primeira conversa com secretário de Estado dos EUA

Está prevista para os próximos dias, possivelmente na semana que vem, a primeira conversa entre o chanceler Carlos Alberto França e Antony Blinken, secretário...